8M em Madrid, Porto e Lisboa ao vivo

A Guilhotina está presente para o 8M em Madrid, Porto e Lisboa. Iremos publicar actualizações ao longo do dia conforme chegam.

Madrid | 13:31

Mais de 40 concentrações para leitura do manifesto e comidas populares feministas. Várias manifestações partem às 17:30 de vários bairros e juntam-se às 19:00 em Atocha para a manifestação principal.

Madrid | 15:05

Bairro de Vallekas com 500 mulheres, Moratalaz com 300 e Lavapiés com 500 durante as concentrações da manhã.

Madrid | 15:59

Mulheres descansam em Lavapiés depois de almoço num dos três pontos de cuidados disponíveis no bairro.

Madrid | 17:35

Trinta minutos antes da manifestação e Atocha já está cheia de mulheres. Fala-se em 100 000 pessoas e ainda nem sequer chegaram as marchas dos bairros.

Lisboa | 18:04

“Justiça machista, resistência feminista” e “Patriarcado e capital, aliança criminal” foram as primeiras palavras de ordem ouvidas no Terreiro do Paço. Fumo verde e canções da América Latina em apoio à luta na Argentina pelo acesso ao aborto.

Madrid | 18:48

“Não há rede e não nos conseguimos mexer.” Centenas de milhares de pessoas. Toda a Avenida do Prado cheia.

Porto | 18:50

Cerca de 600 pessoas na Praça dos Poveiros. Grita-se “A nossa luta é todo o dia, somos mulheres e não mercadoria” e “Está na hora, está na hora, do machismo ir embora”.

Madrid | 19:13

Grita-se “Abolição da prostituição”, “Anticapitalista” e “Viva a luta das mulheres”. Demorou 50 minutos para caminhar 50 metros.

Porto | 19:23

Continua a chegar gente, cerca de mil pessoas de momento. Prepara-se a leitura do manifesto e outras intervenções.

Porto | 19:36

Manifestação arranca de forma combativa em direcção aos Aliados. Grita-se “Deixa passar, deixa passar, sou feminista e o mundo vou mudar” e “A nossa luta é todo o dia, contra o machismo e a homofobia”. Uma carrinha do corpo de intervenção presente.

Madrid | 19:53

Manifestação já chegou à praça de Espanha e ainda há gente a sair de Atocha. É um percurso de cerca de 4km. Multidão de todas as idades, gritos de “Madrid será a tumba do fascismo.”

Porto | 20:33

Manifestação seguiu para a Praça Dom João I. Cerca de 3 000 pessoas no total. Gritos de “Machistas, fascistas, não passarão”.

Lisboa | 20:31

Manifestação termina com a Praça do Rossio cheia de gente a dar voz ao feminismo, em defesa dos direitos das mulheres, contra a violência, a desigualdade e os preconceitos. Cerca de 3 000 pessoas.

Porto | 20:46

Chegada à praça Dom João I.

Madrid | 21:24

O final da manifestação entra agora na Gran Vía, três horas depois do seu começo. Em 2018, a polícia disse que tinham saído 170 000 pessoas à rua, a organização disse 500 000. Este ano a polícia diz 350 000, mas não seria supreendente se fossem um milhão.

Fim das actualizações

Gostaram do artigo? Caso as redes sociais tenham enterrado as suas pérfidas garras nos vossos centros de recompensa cerebrais, considerem acompanhar o nosso trabalho via Facebook, Twitter, Youtube, Instagram ou Telegram; ou partilhá-lo via os bonitos botões vermelhos abaixo.

Right Menu Icon