Portugal // As Gralhas batem as asas

Inaugura-se amanhã no Porto, um novo centro social organizado sob princípios anarquistas de auto-gestão. O centro social auto-gerido A Gralha abre portas a partir das 16h com uma tarde de actividades. Este espaço encontra-se localizado na Travessa Anselmo Braancamp 74, no Porto. O projecto iniciado por seis mulheres, e segundo as mesmas pretende ser “mais do que um espaço físico, a Gralha é um projecto político – visceral, encarnado e multiforme – que crocita a urgência de resistir, agitar e combater a sociedade opressiva e autoritária.”

O que é o CSA A Gralha?

A Gralha é um centro social auto-gerido que oferece instalações, equipamentos e recursos para movimentos sociais de base, colectivos autónomos, projectos colaborativos e a comunidade em geral. É um espaço de encontro e de convívio, de criação de pensamento crítico e de difusão de conhecimento livre, de intercâmbio de saberes e fazeres, de co-aprendizagens transformadoras, de acções combativas, de apoio às lutas locais, de reforço das redes de afinidade, de experimentação de práticas de economia baseadas na horizontalidade e no apoio mútuo, de exercício da autonomia nas múltiplas dimensões da vida.

Quais os projectos do CSA A Gralha?

No CSA A Gralha, acolheremos vários projectos colaborativos que farão deste centro social um organismo vivo, múltiplo e fluído, tais como um ponto de encontro, uma biblioteca social e um centro de arquivo e documentação, uma loja livre, assim como incluirá futuramente um grupo de consumo auto-gerido, uma editora, uma livraria, um centro de recursos, um grupo de guerrilha audiovisual e um grupo de investigação autónoma. É também um espaço aberto para colectivos que se identificam com os princípios d’a Gralha.


Com abertura de portas marcada para as 16 horas, segue-se uma tarde repleta de actividades. De seguida segue o programa na integra.

16h | Abertura
17h | Apresentação do CSA A Gralha
18h | Crocitares poéticos
19h30 | Estreia do documentário “Zauria(k): Loucura, Corpo, Feminismos” (Zauriak dokumentala), seguida de conversa com uma dxs realizadorxs
22h | Kã (concerto)

Para mais informações : As gralhas batem as asas!

Gostaram do artigo? Caso as redes sociais tenham enterrado as suas pérfidas garras nos vossos centros de recompensa cerebrais, considerem acompanhar o nosso trabalho via Facebook, Twitter, Youtube, Instagram ou Telegram; ou partilhá-lo via os bonitos botões vermelhos abaixo.

Right Menu Icon