Portugal // Os números do feminicídio e violência doméstica

Abstract work representing 24 femicides. 24 red squares over white background, lower corner square bleeding.

 

Hoje assinala-se o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres. Cerca de 4 manifestações foram convocadas em vários pontos do país contra a violência de género.

Depois de nos últimos anos ter vindo a decrescer ligeiramente, o número de mulheres mortas vítimas de violência doméstica aumentou em 2018. Desde o início do ano em Portugal até dia 20 de Novembro, foram assassinadas 24 mulheres “em contextos de intimidade ou relações familiares próximas”, segundo o Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA). Outras 16 foram vítimas de tentativas de feminicídio.

A maior parte destas mulheres foi morta na sua própria casa (92%) com uma arma branca (42%) e deixaram cerca de 29 crianças órfãs. Estes são apenas os homicídios de mulheres contabilizados pelo OMA com recurso à análise da cobertura jornalística feita destes casos. A realidade deverá ser pior.

Leiria surge pela primeira vez como o distrito onde ocorreu a maioria dos feminicídios, num total de 6.

Até há bem pouco tempo, Portugal apresentava um número brutal de mulheres mortas em contexto de violência doméstica. Houve uma média de 42 mulheres assassinadas entre 2010 e 2015.

Segundo o relatório Anual de Segurança de 2017, verifica-se que 79,9% das vítimas de violência doméstica são mulheres e 84,5% dos denunciados/as são homens. Houve um total de 25.498 denúncias de agressões a mulheres.

Right Menu Icon